Exercício físico - Bem estar - Saúde

sábado, 8 de junho de 2013

Efeito termogênico da cafeína

A utilização de suplementos nutricionais termogênicos tem sido muito empregada. Nesse sentido, a cafeína tem sido utilizada com grande frequência. Você conhece os efeitos dela? Pegue um café, sente-se e leia!
Quando utilizada antes de realizar exercícios físicos, a cafeína retarda o aparecimento da fadiga, aumenta o poder de contração do músculo esquelético e cardíaco e a lipólise, que é a quebra da célula da gordura. Assim, aprimora o desempenho físico, sobretudo em atividades de longa duração.
A possibilidade de que a cafeína possa exercer algum efeito termogênico nos exercícios de longa duração vem sendo investigada por diversos pesquisadores desde a década de 70.

A cafeína é o ingrediente ativo do café, mas pode estar presente em muitas comidas e bebidas como, chocolates, chás, etc. Não apresenta valores nutricionais e é classificada como um alcalóide do grupo das Metilxantinas.  As xantinas são substâncias capazes de estimular o sistema nervoso, produzindo certo estado de alerta de curta duração. A cafeína é, seguramente, a droga psicoativa mais popular no mundo.
Uma xícara de café contém cerca de 125 mg de cafeína.

A cafeína afeta quase todos os sistemas do organismo, sendo que seus efeitos mais óbvios ocorrem no sistema nervoso central. Quando consumida em baixas dosagens (2-10mg/kg), a cafeína, provoca aumento do estado de vigília, retardo da fadiga, aumento da respiração, aumento da liberação de catecolaminas (adrenalinas, noradrenalinas e dopaminas), aumento da frequência cardíaca, aumento no metabolismo e diurese. Em altas dosagens (15mg/kg) causa nervosismo, insônia, tremores e desidratação.

Estudos mais recentes tem evidenciado melhora no desempenho atlético com a ingestão de apenas 3 a 6 mg de cafeína por quilograma de peso corporal.

Nos 15-45 minutos após a ingestão, a cafeína começa a atuar a nível fisiológico, atingindo o máximo efeito no sistema nervoso central entre 30 e 60 minutos após a ingestão.
Com o aumento da atividade neural, o cérebro prepara o corpo para a fuga ou para a luta, assim comanda a liberação de adrenalina, que causa aumento da frequência cardíaca, aumento da pressão arterial e a dilatação brônquica.
Desse mesmo modo, a cafeína induz uma elevação na concentração de dopamina, que é um dos neurotransmissores responsáveis pela manutenção da vigília e por elevar a atividade motora. Saibam que nós desenvolvemos este sistema há milhões de anos para nos protegermos de grandes animais e outros causadores de estresse.

Os efeitos da cafeína variam de indivíduo para indivíduo, de acordo com o seu peso e com a regularidade com que ingerem cafeína, e os seus efeitos são sentidos enquanto estiver presente na corrente sanguínea.


Explicando: Efeito Ergogênico sobre a Performance:

Aumentam os níveis intracelulares de cálcio nos músculos, facilitando a estimulação-contração do músculo esquelético, aumentando a eficiência da contração.
  
A Cafeína exerce ação na Bomba de Sódio e Potássio (Na+-K+), regulando as concentrações de K+ no meio intra e extracelular de forma que contribui para um ADIAMENTO DA FADIGA.

O processo da LIPÓLISE associado à cafeína está relacionado à liberação da epinefrina. A epinefrina age bloqueando os receptores de adenosina (inibidor da lipólise) e da enzima fosfodiesterase. Essa inibição promove um aumento dos níveis celulares de AMPc, promovendo então a lipólise. Essa QUEBRA DOS TRIGLICERÍDEOS promove aumento de ácidos graxos (GORDURAS) no sangue para serem utilizados como FONTE ENERGÉTICA, promovendo a economia de glicogênio hepático e muscular, resultando em um aperfeiçoamento em exercícios de longa duração.

A cafeína relacionada à REDUÇÃO DE PESO CORPORAL apresenta estudos INEFICAZES, sendo necessárias concentrações extremamente altas de cafeína para obter um resultado anorexígeno e redução da gordura corporal, sendo então, aconselhável adquirir outros meios associados à cafeína para a redução do peso corporal. A cafeína tem sido apontada como uma substância que induz efeito diurético, dependendo da dose.

CUIDADOS:
A classificação entre os que não consomem, entre os que consomem regularmente e consumidores impulsivos, está diretamente ligada ao fato de, além de causar DEPENDÊNCIA, a cafeína provoca o efeito de TOLERÂNCIA, pois com o tempo, maiores doses desta droga tem de ser ingeridas para atingir um mesmo efeito. E a interrupção abrupta da cafeína pode provocar dores de cabeça, irritabilidade, cansaço e incapacidade de concentração. E ao ingerir 30 - 60 min antes de se deitar, pode provocar dificuldade em adormecer e insônias.

É possível afirmar que a cafeína é um ergogênico eficiente, quando bem empregado, além de ser barato e de fácil acesso.

Anaeróbios
A cafeína tem sido utilizada como substância ergogênica de forma aguda, previamente à realização de exercícios anaeróbios (alta intensidade e curta duração), com o intuito de protelar a fadiga e aprimorar a performance. Afetando a percepção subjetiva de esforço e/ou a propagação dos sinais neurais entre o cérebro e a junção neuromuscular. Estimulando o sistema nervoso simpático, aumentando a liberação e, consequentemente, a ação das catecolaminas (adrenalina e noradrenalina); No músculo esquelético aumento na mobilização de cálcio através do retículo sarcoplasmático, facilitando a estimulação-contração do músculo esquelético, aumentando a eficiência da contração. Embora a maioria dos estudos não seja conclusiva em relação aos mecanismos responsáveis pelos efeitos da cafeína no metabolismo anaeróbio, os achados até o presente momento têm apontado a cafeína como um possível agente ergogênico em exercícios dessa natureza também.

Contudo, necessitam ainda mais estudos nessa área, para que possa concluir os exatos efeitos que a cafeína exerce sobre a performance durante os 2 tipos de exercícios.

A cafeína é uma droga considerada como doping pelo COI (Comitê Olímpico Internacional), quando suas concentrações urinárias resultam em valores acima de 12mg/L.

Post: Andréa Schütte e Luana Souza





Referências importantes:
ALTIMARI, Leandro Ricardo et al. Cafeína e performance em exercícios anaeróbios. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas; Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences, vol. 42, n. 1, jan./mar., 2006.

Cafeína: ergogênico nutricional no esporte - www.sncsalvador.com.br/artigos/cafeinaergogeniconutricionalnoesporte.pdf

Efeitos ergogênicos da cafeína sobre o desempenho físico http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/v14%20n2%20artigo4.pdf




Nenhum comentário:

Postar um comentário